Bem-vindos ao FIMP 2016!

 

Nesta edição convidamos o nosso estimado público para nos acompanhar numa jornada muito especial. As marionetas, os objectos, a manipulação, a matéria animada, o vivo e o não-vivo. São estes os nossos pontos de partida, o destino desta viagem caberá a cada um descobri-lo. As extensões concretas e imaginadas do corpo - dos objectos de utilização quotidiana ou outros que alguém decidiu coleccionar, dos mistérios da voz humana à estranheza-familiar das próteses mecânicas, passando pelo registo ou o rasto de determinado gesto ou acção – ocupam, no universo imaginário desta edição, um espaço importante.

As criações que os artistas que animam o programa deste ano nos trazem são densas e desafiantes, algumas bem-humoradas e todas talvez um pouco desconcertantes, sobretudo convocam-nos para pensar e sentir.

É isso, pensar o mundo a partir do exercício poético dos teatros da matéria animada, é esse o convite que fazemos aos que se juntam ao FIMP'16!

No FIMP os encontros e as hibridações são uma tradição: o teatro e a performance, as artes visuais e a música cruzam-se neste território de fronteiras pouco nítidas que a marioneta, expressão popular e andarilha, sempre foi.

Várias gerações de criadores compõem o elenco desta edição, que observa a experiência viva da memória e de percursos criativos mais longos, que tenta dar atenção aos discretos sinais que nos vão chegando do futuro.

A mostra de trabalhos em processo (WIP) e a formação (workshop - WOP) terão lugar também nesta edição. Para os que andam a trabalhar sobre coisas que ainda não sabem exactamente o que virão a ser, para os que querem saber mais sobre coisas que sabem que dão algum trabalho, este é o seu espaço.

No FIMP'16 damos continuidade ao projecto da Bolsa de Criação Isabel Alves Costa. Esta iniciativa desenvolvida em conjunto com as Comédias do Minho e em co-produção com o Teatro Municipal do Porto, apresenta-nos em estreia o resultado da sua segunda edição.

Este festival é capaz de se apresentar um pouco por todo lado, para além dos espaços do Teatro Municipal do Porto, que co-produz uma parte importante do programa, e dos espaços do Teatro Nacional São João, o festival estará também presente na Sala de Ensaios do Teatro de Ferro, nos bairros, escolas e associações da cidade

O FIMP é (desde 1989!) feito com o desejo, o empenho e a colaboração de muitas pessoas. Aos nossos parceiros institucionais e às equipas das estruturas que nos acolhem, aos artistas, ao nosso público, a principal razão de ser de todo este esforço colectivo, a todos os que fazem este festival, o nosso sincero agradecimento. Vamos ao festival?

 

Igor Gandra
Director Artístico

apoios
apoios
apoios
apoios
apoios